top of page
  • Foto do escritorManoela Leite

Quem nunca fanficou que atire a primeira pedra.




Fanfic é a abreviação para fanfiction. Em uma tradução simples e breve, é ficção de fã feito para os outros fãs. 


Seu surgimento aconteceu na década de 70 nos Estados Unidos, com as histórias da série Jornada nas Estrelas (Star Trek). Só foi no fim da década de 90 e início dos anos 2000 que as fanfics iniciaram sua popularização graças à evolução da internet. Sites como WATTPAD, SPIRIT FANFIC, NYAH, AO3 e TUMBLR são uma biblioteca digital repleta de fanfics que todos os dias são publicadas por diversas pessoas.


Mas afinal de contas, o que de fato é fanfic? 


É uma narrativa ficcional apropriando-se de séries, animes, filmes, livros, videogames até bandas, grupos musicais e outras pessoas famosas sem fins lucrativos, com a possibilidade de moldar o universo como quiser e adaptá-lo. Criar personagens originais, a interseção de diferentes universos (crossover), inserir seu cantor favorito no mundo de Crepúsculo, fazer um universo alternativo e muito mais! 


As fanfics são abrangentes, um leque recheado e repleto de criatividade que não tem apenas intenção de entreter. De acordo com a doutora em Letras pela PUCRS e professora de Língua Inglesa e Leitura e Produção Textual na Faculdade Meridional, Maria Lucia Bandeira, as fanfics "reparam alguns dos prejuízos causados pela privatização da cultura, permitindo que esses potencialmente ricos arquétipos culturais falem por e para uma variedade cada vez maior de visões políticas e sociais". 


Narrativas que abrem portas


Como uma expressão criativa, as fanfics estimulam a imaginação e a habilidade da escrita, gerando amantes da arte de escrever que se tornam escritores não mais de fanfics, mas criadores dos seus próprios mundos e personagens publicados em livros, formando grandes autores. Ali Hazelwood, Babi Dewet, Clara Savelli, Cassandra Clare e Meg Cabot são exemplos de autoras que vieram do mundo das fanfics e agora tem diversas obras famosas publicadas. “A Hipótese do Amor” best-seller de Hazelwood era uma fanfic de Star Wars, por exemplo.



Além disso, fanfics proporcionam o gosto pela leitura e atraem novos leitores que vão das fanfics para os livros. 


Escritora de fanfic de CBLOL


Sempre gostei de escrever desde que me conheço por gente e as fanfics presentes na minha vida há quase uma década. 


Passei dois anos sem me envolver com a escrita até meados de 2020 em que comecei a escrever sobre um núcleo nada popular, o CBLOL – Campeonato Brasileiro de League of Legends –, tudo porque um dia pensei “E se existisse um time completamente feminino?” e foi assim que criei Athena, Storm, Kira, Rose e Moon que, atualmente, são as protagonistas do meu livro em desenvolvimento.


Foi em 2021 que iniciei a publicar as fanfics sobre jogadores profissional de CBLOL sem medo algum. Foram diversas histórias publicadas – algumas retiradas de publicação para reescrita –, mais de dez mil visualizações, elogios vindo dos próprios jogadores que eu escrevia – cheguei a chorar de emoção algumas vezes –, evolui minha escrita e conheci pessoas incríveis pelo caminho.



Sempre digo que sou grata às fanfics porque me trouxe muitas coisas, mesmo sendo difícil lidar com o hate, eu me sinto orgulhosa com que fiz no meio das fics e ter sido uma voz ativa por muito tempo. Regressar mais uma vez a esse mundo é gratificante. 


E eu incentivo a todos a entrar nesse mundo de fanfics. Você pode encontrar narrativas extraordinárias e incríveis que soam superiores a muitos livros. Ingressar na rotina da leitura. Sentir-se à vontade para arriscar na escrita e soltar suas ideias. E até mesmo conhecer pessoas nesse caminho.


Para finalizar, gostaria de transportar o recado que dei para a entrevista a MGG Brasil:


"No fundo, todo mundo cria fanfics, todo mundo quer conhecer um famoso. Isso não lhe torna uma pessoa estranha, apenas humana, porque todos somos capazes de sonhar e imaginar. Às vezes, só queremos transportar nossos sonhos e vontades para a escrita e isso não é vergonhoso. Fanfics são um caminho para futuros escritores.”


Comments


bottom of page