top of page
  • Foto do escritorLucas Mazziero

Treino, logo crio!




Há quase dois anos, comecei a frequentar uma academia. Nesse período, cometi muitos erros e me machuquei fazendo movimentos errados. Hoje, estou me aventurando na corrida. Minha meta é conseguir correr 5 km em menos de 30 minutos.


Mas esse texto não é sobre esportes, nem sobre te motivar a se exercitar. (Mas se fizer isso, ótimo! O esporte ajudou demais minha vida.) Esse texto é sobre criatividade.


A importância da prática


Como em qualquer esporte, é a prática que leva à evolução. É a única forma, infelizmente não existe atalho. Criatividade exige treino, exige dedicação e constância.


Mas essa constância não é a mesma coisa todo dia.


Na academia, você não consegue bater seu recorde pessoal de agachamento só fazendo agachamento. Você precisa de estímulos diferentes de vários outros exercícios que vão te dar força suficiente para alcançar esse seu objetivo.


Com criatividade é a mesma coisa: escreva, desenhe, pinte, componha, leia, veja filmes, ouça músicas, escreva músicas, repita, repita e repita.


A fonte


E nesse processo, como saber se você está fazendo certo? Aproveitando o máximo do músculo para o máximo de hipertrofia? Criando algo que vai conseguir passar o que você pensou? Buscando referências. No livro "O Ato Criativo", Rick Rubin fala sobre o universo ser nossa maior fonte de matéria-prima para criatividade. "A fonte está por aí. Uma sabedoria que nos cerca, uma oferta inesgotável que está sempre à nossa disposição."


Então consuma, procure pistas que indiquem novas formas de fazer algo. Vale de tudo: livros, músicas, filmes, uma conversa no bar, um blog, etc. Mantenha-se aberto.


Se quiser ir longe, vá acompanhado


Para mim, sempre foi muito difícil criar um vínculo com a prática do esporte. Chega a ser difícil contar a quantidade de planos que já fiz em academias e fui apenas uma vez. Falo isso para mostrar como algo em grupo é fundamental para o seu desempenho.


Tive uma grande evolução depois que comecei a ir acompanhado, a ter um grupo para quem compartilhar esse processo de desenvolvimento físico. No processo criativo, seu momento sozinho é um momento fundamental, uma etapa muito importante do processo. Mas busque o grupo, crie com outras pessoas, pessoas com pensamentos diferentes do seu, tenham uma busca coletiva pelo resultado. Isso vai te ajudar a achar mais problemas, mas também mais soluções para suas ideias.


Antes feito que perfeito


E para finalizar com uma pegada motivacional: simplesmente faça. Quer correr? Só vai. Quer postar seus desenhos na internet? Poste. Comece a se exercitar em casa mesmo, poste seu vídeo cantando, mesmo achando que não está bom.


Citando mais uma vez o livro do Rick Rubin: "Quando nos apegamos a uma versão prematura da ideia, estamos prestando um desserviço ao potencial do projeto."


Poderia ser melhor? Sempre vai poder ser melhor. Mas faça. Se esperarmos chegar o momento perfeito, ficaríamos sem ação, sem tomar os primeiros passos, sem sair da teoria. E a quem interessa isso?



Comments


bottom of page